Pesquisar

AmbienteGS

Comemoração do Dia da Floresta Autóctone

 

DSCN4712    Dia 23 de novembro, foi comemorado, na Escola Guilherme Stephens, o Dia da Floresta Autóctone com uma sementeira de bolotas de carvalhos, cedidas pela Autarquia, e bolotas do nosso sobreiro centenário.

    Tendo como cenário a majestosa e verdejante árvore autóctone, os alunos do 3º e 4º anos, assim como algumas turmas do 2º e 3ºciclos semearam as bolotas no sentido de todas germinarem com a finalidade de mais tarde serem plantadas em zonas ardidas para ajudar a reerguer a nossa floresta. Todos os participantes manifestaram muito interesse pela atividade, tendo prometido que iriam cuidar da nova árvore.

    A partir de gestos úteis e imprescindíveis no que concerne a educação ambiental se sensibiliza os mais novos a preservar e a proteger o planeta.

DSCN4707DSCN4695DSCN4683DSCN4715DSCN4717DSCN4713DSCN4688DSCN4676DSCN4679DSCN4721DSCN4698DSCN4705DSCN4680

 

Anúncios

Hastear da Bandeira Verde Eco-Escolas

DSCN4749

 Hastear a Bandeira Verde Eco-Escolas, pela 21ª vez, consecutivamente, é sem dúvida, motivo de orgulho para toda a comunidade escolar. Mais uma vez, o trabalho diversificado realizado ao longo do ano letivo anterior na área da educação ambiental foi reconhecido pela Associação da Bandeira Azul da Europa.    Ao longo de 21 anos, a comunidade educativa, em conjunto com o Município e Junta de Freguesia da Marinha Grande, o Jornal local, entre outras instituições ajudaram a dar passos no sentido de alterar atitudes com o objetivo de melhorar o meio envolvente de todos e de cada um de nós. O dia de ontem foi o exemplo vivo do que acabei de referir. Alunos e professores de vários estabelecimentos de ensino do concelho e diversas entidades deram um valioso contributo para reerguer a floresta tão importante para todos e para a sustentabilidade do planeta. Neste momento de perda tão sentido, especialmente para todos os marinhenses, é essencial que mais ações de reflorestação sejam levadas a cabo a fim de o verde começar a emergir e a sobressair na paisagem agora inóspita.

DSCN4740DSCN4739DSCN4736DSCN4737DSCN4748DSCN4745DSCN4756

Festa das Bandeiras Verdes

   DSCN4576.JPG

  Cinco alunos da Escola Guilherme Stephens acompanhados por quatro professoras coordenadoras Eco-Escolas, alunos da Escola Calazans Duarte e a representante do Programa Eco-Escolas no Município deslocaram-se a Mafra, no dia 27 de setembro com o objetivo de participarem no evento anual “Dia das Bandeiras Verdes”.                                       O grupo teve oportunidade de participar em variados ateliers e workshops assim como visitar a eco-mostra e assistir a diversos momentos culturais levados a cabo por escolas e entidades de todo o país. De salientar, o entusiasmo esfuziante e o orgulho estampado no rosto de cada um dos jovens quando o momento mais solene se aproximou: a entrega do tão esperado Galardão, a Bandeira Verde Eco-Escolas, que iria rumar até à  cidade da Marinha Grande para, posteriormente, ser hasteada à entrada principal da escola como sinónimo do trabalho realizado no que concerne a Educação Ambiental há mais de vinte anos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Actividades realizadas no ano letivo 2016/2017

 

 

 

Em pleno Douro Vinhateiro

DSCN4335

No âmbito do Programa Eco-Escolas e da Educação Ambiental para professores e funcionários, realizou-se no passado dia 10 de junho, um passeio até à cidade nortenha Peso da Régua, última atividade do Plano de Ação da escola, no que concerne a área ambiental.

Bem cedo e rumando até àquelas paragens transmontanas, o grupo foi recebido numa quinta vinícola, junto ao Miradouro de S. Leonardo da Galafura, pelos seus anfitriões, com uma extraordinária amabilidade e simpatia para não falar dos acepipes à disposição.

Já na margem esquerda do Douro e com uma vista privilegiada para a cidade, esperava um almoço rico em iguarias da zona. Entretanto, a cidade acolhia o grupo após um percurso pedestre pela ponte desativada, sobre o Rio com o objetivo de apanhar o comboio até ao Pinhão. Durante a viagem, sempre de braço dado com o rio, sobressaía, a cada passo, uma paisagem indescritível, um recanto de beleza natural, como se das águas cristalinas emergissem.

Findo o percurso Régua – Pinhão, seguiu-se um momento de convívio junto ao cais de embarque que mais tarde serviria para acolher o barco que levaria de regresso o grupo até à Régua. Nova viagem repleta de emoções por rio abaixo e que tanto inspirou o poeta Miguel Torga. Da Barragem de Bagaúste já se começava a vislumbrar uma das três pontes com o nome do poeta, em sua homenagem.

Sem dúvida, um dia inesquecível em que a beleza verdejante da paisagem recortada e serpenteada pelo Rio Douro, foram os pontos altos colidindo com um enriquecimento da consciência ecológica de todos e de cada um dos participantes.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

GUILHERME STEPHENS COMEMORA DIA ECO-ESCOLAS E DIA DA TERRA

01

Dia 20 de abril, cerca de meia centena de alunos do 7º e do 8º ano, professores, alguns encarregados de educação e dois representantes da autarquia iniciaram, na escola, um passeio em bicicleta com destino à Praia Velha a fim de proceder a mais uma campanha de limpeza do areal (a 9ª campanha), subordinada ao tema “Vamos limpar o mar”.

Com um ventinho de feição, o grupo acompanhado pela PSP, Bombeiros Voluntários da Marinha Grande e um carro vassoura (para acautelar alguma situação indesejada), iniciou o percurso pelas 9 horas, na escola, contornou a Rotunda do Vidreiro e dirigiu-se à Guarda Nova para, de seguida, ser acompanhado por elementos da Escola Segura da GNR.

Os ciclistas percorreram, de seguida, um trajeto de beleza única pela “Catedral verde e sussurrante” onde o chilrear de pequenas aves ia intervalando com o saltitar das águas irrequietas do Ribeiro de S. Pedro.

Já na Praia Velha, junto ao Bar Old Beach, após um merecido descanso para recuperar forças, deu-se início à atividade de limpeza sem antes se ter assinalado o dia com uma formação humana – DIA DA TERRA – HELP! – que ficou registada em fotografia e vídeo por um drone.

O momento seguinte foi de grande azáfama: divisão dos participantes por grupos e aquisição dos sacos para recolher o máximo de resíduos que eram diversificados e incontáveis, sinal de que a ação antrópica se continua a fazer sentir num desrespeito desenfreado pelo planeta do qual ninguém pode ausentar-se. Segundo o Professor Jorge Paiva, (conceituado biólogo e investigador a nível nacional e internacional que o Agrupamento Marinha Grande Poente teve a honra de receber, no dia 19 de abril), “Estamos a emporcalhar a nossa gaiola”. É esta imagem real que paira no nosso quotidiano, sem dar tréguas visto que as atrocidades contra a natureza versus planeta continuam a um ritmo frenético e desmesurado, menosprezando-se o que de mais valioso a Humanidade possui: o património biológico ao qual se tem dado pouca importância principalmente por aqueles que mais responsabilidades têm ao nível da governação de todos os países ignorando que a existência de todos os seres vivos é extraordinariamente imprescindível à vida humana.

Um dia, talvez não muito longínquo, o planeta azul tornar-se-á cada vez menos azul e  desprovido de vida, se nada for feito em prol da sua preservação e conservação. Recordando ainda as palavras deixadas pelo investigador “ … temos de assumir o compromisso de preservar ao máximo a Biodiversidade, pois sem os outros seres vivos perderemos a oportunidade de sobrevivência da nossa espécie”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comemoração do Dia da Terra / Dia Eco-Escolas

Dia 20 de abril, cerca de meia centena de alunos do 7º e do 8º ano, professores, alguns encarregados de educação e dois representantes da autarquia iniciaram, na escola, um passeio em bicicleta com destino à Praia Velha a fim de proceder a mais uma campanha de limpeza do areal (a 9ª campanha), subordinada ao tema “Vamos limpar o mar”.

Já na Praia Velha, junto ao Bar Old Beach, após um merecido descanso para recuperar forças, deu-se início à atividade de limpeza sem antes se ter assinalado o dia com uma formação humana – DIA DA TERRA – HELP! – que foi filmada e fotografada por um drone.

Um dia, talvez não muito longínquo, o planeta azul tornar-se-á cada vez menos azul e  desprovido de vida, se nada for feito em prol da sua preservação e conservação.  Segundo o Professor Jorge Paiva “ … temos de assumir o compromisso de preservar ao máximo a Biodiversidade, pois sem os outros seres vivos perderemos a oportunidade de sobrevivência da nossa espécie”.

Coastwatch 2017 – fotos

Coastwatch 2017

DSCN3763

No âmbito do Programa Eco-Escolas e da Educação Ambiental, realizou-se no passado dia 16 de março, a habitual Campanha Coastwatch, projeto de âmbito europeu que permite obter uma caraterização da faixa costeira.

Os alunos da turma E, do oitavo ano, acompanhados por três professores, rumaram até à Praia das Pedras Negras, local onde se iniciou a referida atividade terminando na Praia da Concha.

Sob um sol radioso e convidativo, a turma, dividida em três grupos, procedeu à monitorização da faixa costeira quanto à biodiversidade, zonação e erosão costeiras, resíduos, contaminação e pressões antrópicas.

De salientar, o aspecto desolador do areal, principalmente nas zonas supratidal e intertidal da Praia Velha, visto que os resíduos para além de muito diversificados eram incontáveis.

Para minimizar este impacto negativo, os alunos do 7º e 8º ano vão participar na IX Campanha de Limpeza subordinada ao tema “Vamos limpar o mar“, a ter lugar na Praia Velha, no dia 20 de abril para comemorar o Dia da Terra e o dia Eco-Escolas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑